Todas as fotos publicadas são de minha autoria, tiradas com telemóvel.

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Perco a capacidade

Foto minha

O tempo galopeia
e eu perco tanto
da minha vida
dentro do meu peito
habita a dor do desespero.

Sonhos perdidos
outros abandonados
que não são mais meus.

Tudo atormenta
sinto
meu coração sufocar
pela a angustia
que o estrangula.

Sinto-me  paralisar
algo suga as minhas forças
perco a capacidade de processar
de agir.

18 comentários:

São disse...

Mimha linda, não podes perder nem a esperança nem a coragem.


Abraço forte, Adelinha

Pedro Coimbra disse...

Ainda que com dor há que ir em frente, Adélia.
Beijinho

✿ chica disse...

Força e esperança!!beijos,chica

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Uma imagem que nos golpeia pela veracidade encontrada em tantos escombros perdidos aqui e ali ou além... Casas em ruínas ou fábricas abandonadas...

Carregamos todos esta dor e não temos força para alterar o rumo que estas políticas lhes dão...

Agulheta disse...

Amiga Adelia.Mesmo que tenhamos casa,de comer e vestir,todos nós vivemos na incerteza que esta gente nos colocou perante a vida,para mim custa muito ver tanta desgraça que pensei que jamais viria depois de Abril?
Beijinhos fica bem

Susana Miranda disse...



Tens que acreditar que tens capacidade e força necessária para acreditares nas tuas potencialidades.

Depois de cada queda buscar o equilíbrio.

Beijinhos
Susana

Graça Sampaio disse...

Nem penses que vais perder a capacidade seja do que for!
Continua a fazer doces, a tratar das flores e dos teus gatinhos fofos e do fofo do teu folha seca e oca a animar!!

Beijinhos

quem és, que fazes aqui? disse...


Pode-se perder muita coisa, Flor, mas não percas a capacidade!

Vá lá!

Beijinho

Lilá(s) disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lilá(s) disse...

A força e a coragem vão estar sempre contigo nunca te vão abandonar querida amiga
Bjs

Jota Effe Esse disse...

Belas palavras, minha amiga, mas te peço, nunca percas a capacidade de sonhar, utilizando para isso a esperança. Meu beijo.

Catarina disse...

Nunca te abandones, Flor, como parece que aconteceu a essa moradia, sabe-se lá por que razões.

Fê blue bird disse...

Amiga Adélia.

Quem sou eu para te consolar, no entanto sabes que podes sempre contar com o meu ombro amigo.
Tem fé, tem esperança !

beijinho comovido

JP disse...

As forças não podes perder...nem a esperança.


Beijinho

Lacorrilha disse...

Beijinho amiga e que este mês o teu coração não fique tão apertado quanto nos outros.
Estou aqui.
Beijinhos

Susana Miranda disse...



Adélia, boa tarde.

Para deixar um beijinho e continuação de boa semana.

Susana.

Ontem enviei e-mail

Nilson Barcelli disse...

É preciso olhar em frente e fazer tudo o que é possível para tornar o hoje melhor que o ontem...
Gostei do teu poema. Magnífico, apesar de triste.
Flor, minha amiga querida, tem um bom resto de semana.
Beijo.

Janita disse...

Podemos perder tudo, Flor , mas nunca devemos perder-nos de nós.
Perder a capacidade de resistência é apenas uma fase que vai passar. És uma mulher 'dura na queda', mão será agora que irás mudar.

Força e ânimo , Adélia!
Só assim poderás transmiti-la àqueles que te amam e dela precisam!
Curiosa a foto, amiga. Acho que esse casebre te puxou para baixo, mas até as ruínas se podem reerguer. Lembra-te da Fénix...

Beijinhos solidários.