Todas as fotos publicadas são de minha autoria, tiradas com telemóvel.

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Cada dor



Foto minha


Olho a vida passar lá fora
e tenho a noção 
que as minhas dores são eternas
cada uma, deixa cicatriz.

Cada cicatriz 
uma tatuagem que não desaparece
e que eu não consigo esconder
não existe quem as veja
elas não pertencem a ninguém
a não ser a mim própria.



domingo, 4 de dezembro de 2016

Sonhos escondidos

Foto minha



Saudades da menina
aquela que sonhava
ao olhar o brilho das estrelas
fechava os olhos 
e voava com asas da imaginação.

Com esperança
acreditava na felicidade
mas o tempo passou
a menina cresceu
e sofreu de sonhos escondidos.

Hoje
 mulher de coração sufocado
continua a suportar
os seus gritos interiores.



terça-feira, 29 de novembro de 2016

Pensamentos meus



Foto minha




Não sei se hei-de gritar
ou viver no silêncio
com sorriso nos lábios
e dor no coração
mantenho a estranha presença
como forma de sobrevivência.

Como um túnel escuro
onde sinto vontade de me perder
sem que seja encontrada
aguardar
até que a minha tristeza
se ausentasse
e os meus lábios voltassem a sorrir.


domingo, 27 de novembro de 2016

Pensamentos meus

Foto minha



Olho dentro de mim 
e apercebo-me o quanto a vida é curta 
e a dor é longa.

Cada dor sentida
faz-me perceber que é no amor
que vou buscar força para as superar.

Entristece-me 
aqueles por vezes tão jovens 
que perante as dificuldades da vida  
desistem sem perceberem 
 que a humildade jamais poderá ser 
colocada atrás da porta
lá é o lugar do rancor e das mágoas
 sem carinho e amor
a vida não faz sentido.


Ontem jovem
hoje velhinho
amanhã não existe
simplesmente porque a vida é curta.


Pensamentos meus.



quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Faz hoje 43 anos

 que escrevi este texto na Clínica da Marinha Grande!




 Mas a foto é recente            


Hoje fui mãe, apenas com os meus 16 anitos, não sou criança, muito menos adulta, sou apenas uma menina que saltei a adolescência no dia em que casei. 
Não sei o me espera no futuro, mas sei que hoje sinto-me um ser humano feliz.


Emocionada as lágrimas caem-me ao olhar para ti que dormes tranquilamente, pareces um anjinho...és linda minha Princesa.
Pergunto a mim própria, como é possível alguém ter coragem para abandonar um filho, tal como eu fui abandonada pela minha mãe, não encontro resposta, apenas sinto um arrepio forte demais...não, não quero pensar nisso...quero apenas olhar para ti e dizer-te que te amo.
O teu papá está na tropa, não o vejo à 22 dias, também hoje não o vou ver, ele não tem hipótese de estar presente para te dar as boas vindas...farei-o eu pelos dois.
Bem vinda ao mundo minha filha...o teu nome será Carla Sofia. Prometo que nada faremos para te fazer sofrer, tu és o nosso bem precioso.
24-11-1973 – 11,35 h
Mas o papá veio, desenfiou-se, (termo usado na tropa na altura) só para te ver.
Hoje após 43 anos a minha promessa mantém-se, nada farei para te fazer sofrer, tal como o papá que faleceu sem te fazer sofrer, enquanto viveu.
Amo-te tanto (pa xempe) filhota Carla   



domingo, 20 de novembro de 2016

A chuva cai

Foto minha



Lá fora a chuva cai
no silencio da noite escura
veio juntar-se às  lágrimas
da tristeza estagnada no peito.

Perdida
como se o deserto esteja a trilhar
com passos desalinhados
em chão ausente.

Num caminho imprevisível
 a esperança desaparece sem avisar
tal como o vento muda as coisas do lugar.



quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Vagueio


Foto minha




Vagueio pela madrugada 
de mãos dadas com a insónia
braços acolhedores de dores
que toma conta
quando a vida se mostra ser  amarga.

Abandonada 
pela capacidade de raciocínio 
pelo cansaço 
que ousa mexer na esperança
que dissolve a força
deixando-me vulnerável.


terça-feira, 15 de novembro de 2016

Está complicado

Dá-se gripe, de preferência 
a quem trate bem dela 

Foto minha


Algo me diz que nenhum de vós a 
vai querer, vou ter que ficar com ela, 
o que me impede de visitar os 
  vossos cantinhos!

Até breve.


domingo, 13 de novembro de 2016

Noite nua

Foto minha




O dia silenciado 
pela noite nua que arrasta 
as minhas horas vazias

Noite em claro
não para ver a lua
é a noite 
em que ouço a voz do silêncio
e o respirar da escuridão.





quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Pensamentos meus

Foto minha




Há alterações na vida
 que me deixam num profundo inquietar
invade-me um doloroso sentir
gelando-me a alma 
e não consigo disfarçar
não consigo pintar o mundo
de uma cor diferente daquela que vejo
e a realidade deixa-me triste.

Olho o mundo e nada reconheço
na escuridão de um futuro complexo
onde tudo parece estar a ruir
onde os humanos se atropelam uns aos outros
sem o mínimo de sensibilidade.