Todas as fotos publicadas são de minha autoria, tiradas com telemóvel.

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Não me amordacem



Foto de uma amiga
 eu estou aqui a segurar a faixa do
grupo de amigos do Zeca Afonso




Não quero
continuar a sofrer
Não
por motivos errados
Eu quero viver
 não apenas sobreviver.

E não 
me amordacem
eu quero ser livre
quero dizer o que sinto
mesmo
que as minhas palavras
não sejam ouvida
mas quero dize-las.

Quero  expressar
 os meus sentimentos
as minhas emoções
que habitam no meu coração
que sofre de dor
de revolta
e se recusa  
aceitar tantas punições.

16 comentários:

Rogerio G. V. Pereira disse...

"Quem nos domina não nos vence!"

Força!

Diz-se do mar que só a sétima onda é que a alterosa...

Teté disse...

Como dizia o grande Ary: "poeta castrado, não!"

Beijinhos

Sonhadora (RosaMaria) disse...

Minha querida

Que as nossas vozes nunca se calem. Um poema que é um grito de revolta e que adorei ler.

Um beijinho com carinho
Sonhadora

São disse...

A ti ninguém vencerá, porque tens força para resistir!

És a senhora de óculos escuros, a meio?

Bons sonhos, Adelinha

Pedro Coimbra disse...

Ainda não chegámos a esses pontos, Adélia.
E acho que nunca mais chegaremos.
Beijinhos

✿ chica disse...

Gritar é preciso.Lindo aqui!bjs praianos,chica

Arnoldo Pimentel disse...

A liberdade é um direito de todos.Parabéns.

lino disse...

As mordaças não vencerão!
Beijinho

Ricardo- águialivre disse...

Que a força esteja sempre em seu coração

Deixo votos de felicidades
****************************
http://pensamentosedevaneiosdoaguialivre.blogspot.pt/

Cadinho RoCo disse...

Nada mais importante do que ser livre.
Cadinho RoCo

quem és, que fazes aqui? disse...


Não nos amordaçarão sem antes continuarmos a gritar. E, por cada um que silenciem, dez erguerão a sua voz.

Beijinho

Majo disse...

A menina das sandalinhas? Bons tempos!
Estavas linda, Adélia. Mas sempre serás bela.
Desabafa conosco, nós estamos contigo.
É preciso e urgente denunciar, esclarecer, debater ideias. Só cidadãos informados e interssados, podem exigir ao governo, respeito pelos seus direitos.

O teu poema está eloquente, sincero e com a delicada boa qualidade a que nos habituaste.
~ ~ ~ Abraço ~ ~ ~

Fê blue bird disse...

Cantaremos até que a voz nos doa!

E lutaremos até ao fim!

Gosto de te ver assim,determinada.

beijinho minha amiga

Nilson Barcelli disse...

Magnífico poema.
Gostei.
Um beijo, querida amiga.

Lídia Borges disse...


Calar é a pior das opções!...


Um beijo

ONG ALERTA disse...

Mas na hora do voto o povo faz bobagem...
Beijo Lisette