Todas as fotos publicadas são de minha autoria, tiradas com telemóvel.

quarta-feira, 8 de julho de 2015

Desmotivação

Foto minha



A minha mente está sobrecarregada
com palavras e gestos que ferem meu coração.

As alterações da vida deixam-me triste
assustada
perante a grandeza da desmotivação
do afastamento da esperança
das desilusões vividas.
E
a realidade fornece-me um sentido assustador
da minha existência 
como me vejo no dia a dia
ou talvez
como me deixo de ver.





10 comentários:

✿ chica disse...

Linda foto e que a desmotivação desapareça! bjs, tudo de bom,chica

Rogerio G. V. Pereira disse...

Então? Vá lá!!

Pedro Coimbra disse...

Meia bola e força que assim não resulta.
Beijinhos

Cidália Ferreira disse...

Lindo poema.... Mas nada de desistências! Adorei

Beijo e uma óptima quinta-feira

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Janita disse...

A foto é espectacular! Até parecem duas crianças à espera dos pais...mas, num olhar mais atento, vemos que são bonecos!!

À primeira vista nem tudo o que parece é, Adélia! Quem sabe essa desmotivação não seja passageira, amiga?
Bola para a frente! O que passou, passou, e o que virá só Deus sabe!

Beijinhos motivadores e plenos de alento!

Fê blue bird disse...

Amiga Adélia, a desmotivação leva ao abandono e à acomodação.
Não entres por esse caminho!
FORÇA!!!

beijinho e abraço apertado

São disse...

Adelinha, por muito que a Vida nos falseie não podemos deixar de a enfrentar!

E podes acreditar que não estou a fazer discursos retóricos, mas sim a falar por experiência própria.

Beijinhos, muitos

Lídia Borges disse...


Mas o Sol nasce todas as manhãs a lembrar que cada dia é uma nova possibilidade de mudança...

Beijo meu

Lídia

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Lei-o mas neste momento fico sem palavras.
Nem sempre a força interior nos ajuda a ultrapassar os momentos mais tristes.
Venho convidá-la a visitar o Lidacoelho.
Escolhi uma das suas fotos para o poema de hoje.
Deu-me liberdade e eu vim e levei. Está identificada.
Penso que o meu poema é o oposto dos seus gritos que magoam pela dor que transportam.
Beijinhos nossos para si e um abraço ao Rodrigo.

redonda disse...

Consigo ver-me em parte nestas palavras.
um beijinho
Gábi