Todas as fotos publicadas são de minha autoria, tiradas com telemóvel.

quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Perdida

             
Foto minha



Perdida
no meu próprio eu
momento de palavras dolorosas
ditas pelo silêncio
em que tudo parece ausente.

Olho o céu
vejo a sua beleza
o resplendor da natureza
tenho a nítida sensação
que estou num mundo sem rumo.

Sem que nada consiga fazer
observo o palco da tristeza
sofrendo
e assistindo ao sofrimento
daqueles que tanto amo.





14 comentários:

redonda disse...

Gosto muito da poesia que escreves.
E porque tem tanto sentimento, espero que escrever ajude.
um beijinho grande
Gábi

Cidália Ferreira disse...

Parabéns pelo poema, para além de triste é profundo e real.
Amei

Beijos
http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

✿ chica disse...

Lindo poema, mas tão triste sentir!! bjs, chica

Rogerio G. V. Pereira disse...

Então, quéqué isso?
Arriba!

A descrença é o preâmbulo da derrota
Arriba!
Força!

Teté disse...

Apesar desses carregados tons de cinza, o céu está lindíssimo...

Beijocas

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Adéliamiga

Poema belíssimo que até na tristeza é belo. Tão belo e tão triste Senhora minha que me permito transcrever:

(...)observo o palco da tristeza
sofrendo
e assistindo ao sofrimento
daqueles que tanto amo.


Obrigado, muito obrigado pelo que me (nos) dás.

Bjs da Kel e qjs do Leãozão

Continuo à tua espera na TRAVESSA - que é nossa...

Pedro Coimbra disse...

Essa dor que não tem fim, Adélia.
Beijinhos

Graça Sampaio disse...

Muito bonito, embora muito triste, minha querida!

A fotografia está um espanto!

Tudo muito bem, mas... toca a animar!!! (Será que poderemos ajudar?!)

Beijos amigos.

lis disse...

E aqui chove e o céu nem estava carregado como o seu.
Ouço o barulhinho e é como uma canção de ninar...
Espero que o poema seja a terapia que te move e te faz bela,
boa noite bom dia porque andamos em ordem inversa.
abraços

luisa disse...

A par dessa tristeza impotente a vida segue o seu rumo. No céu, as nuvens rolam, ora brancas ora cor de chumbo.

silvioafonso disse...

Vim te deixar um beijo,
dizer que continuo te
seguindo e, nada mais.





.

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Mais um grito de dor que lhe sai espontaneamente.
Difícil compreender o silêncio destes gritos.
Mais difícil ainda não ter resposta para lhes dar.
Beijos nossos.

Catarina disse...

Que as nuvens cinzenta tivessem desaparecido.
Bom fim de semana, Adelia.
Bjos

AC disse...

Adélia,
A nossa bússola é deveras única. Onde uns vêem falta de rumo outros vêem renovação. Quem terá razão? Todos e ninguém, é a resposta aparentemente contraditória. Mas, se pensarmos bem, o mundo sempre esteve em constante mutação, só que agora de uma forma muito mais rápida, avessa ao congelamento de ideias. E há coisas tão belas à nossa volta...!

Um beijinho :)