Todas as fotos publicadas são de minha autoria, tiradas com telemóvel.

domingo, 30 de janeiro de 2011

Contra a violência doméstica

"Enquanto gritas à tua mulher, companheira ou namorada, há um homem desejando sussurrar-lhe ao ouvido. Enquanto a humilhas, ofendes e insultas, há um homem cortejando-a e recomendando-lhe que é boa mulher, enquanto lhe bates, há um homem desejando dar-lhe amor. Enquanto a fazes chorar, há um homem que lhe rouba... sorrisos".  Somos únicas, deusas da maternidade e merecemos o melhor. E é importante gostarmos de nós todos os dias, termos amor próprio.  ( alguém que me é muito próximo acaba de ser vitima de violência)

7 comentários:

AC disse...

A barbárie ainda anda por aí. Infelizmente.

Beijo :)

Rogério Pereira disse...

Contra a barbárie tá bem mas aproveitarem-se para se gabarem de fazer o que eu nós não podemos é... uma violência imperdoável
:)))

Bella disse...

Um flagelo. Também conheço algumas. É inconcebível que aconteçam coisas destas, nada justifica uma agressão.
Bjokas

almeida piedade disse...

Querida flor
Infelizmente a violência não tem fim. E o mais assustador é que cada vez mais ela existe nas novas gerações. Ainda hoje com nuita tristeza recordo a pancada que a minha mãe levava quando o meu pai chegava a casa já com os seus copos, vindo do trabalho, ela apenas nos dizia que o nosso pai não é mau, apenas está zangado, mas aquilo passa, amanhã já não é nada, eu vivi muito anos com estas cenas e comentários. hoje revivi alguns desses momentos.
Abraço solidário

Anónimo disse...

Minha Querida Flor
Eu sou alguém que o (casamento existe) há 17 anos tenho um filho com 16 e uma filha com 14, rara é a semana que não levo pancada daquela que me deixa de rastos, no entanto estou só, não tenho emprego onde trabalhava fechou, vivo numa casa dos meus sogros que estão muito doentes, meus cunhados e minha irmã estão no estrangeiro. Sempre que ele me bate sempre jura e chora dizendo arrependido e que não volta a fazer mas enquanto tem dinheiro eu tenho maus tratos, felizmente que não mal trata meus filhos, mas são muito infelizes ao terem o pai assim.
Desculpa este meu desabafo.
Um abraço sentido

Rosa dos Ventos disse...

Uma realidade dolorosa que encontramos diariamente nos jornais ou até perto de nós!
Não o podemos calar!
Há dias também postei sobre esta temática...

Abraço

alma de pássaro disse...

Mamã,a tristeza que sinto deixa-me sem palavras...
Ao teu seguidor "anónimo" deixo um grande abraço e apenas posso dizer "tenha muita força" e chorei ao ler o seu comentário ao blog da minha mãe,que é a melhor coisa que tenho no mundo. Não sei como é possível ainda existirem situações assim...
Beijinhos para as duas