Todas as fotos publicadas são de minha autoria, tiradas com telemóvel.

domingo, 30 de novembro de 2014

Naufragada




Foto minha





Acordo 
olho-me
mas  já não sou eu
sou alguém 
contado a mim própria
talvez
para me manter viva.

Naufragada
numa ilha de tristeza
sufocada pelo sofrimento
cuja duração 
não está ao meu alcance.

Sou aquilo que sou
que me criei
ou descriei.
Uma
mulher nascida
para viver morta.


(Reeditado)

15 comentários:

Graça Sampaio disse...

Que angústia, minha querida Adélia! Talvez por diversas razões, mas também eu quase me sinto assim...

Que revolta!!

Mas há que animar, não sei como, mas animar!!

Beijinhos e boa, melhor semana.

✿ chica disse...

Tão tristes tuas palavras! Que fiques bem! bjs,chica

Cidália Ferreira disse...

Tanta tristeza!!

Tenha uma excelente semana.
Beijos

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Pedro Coimbra disse...

Meia bola e força.
Tem que ser essa a atitude.
Beijinhos e votos de boa semana

Majo disse...

~
~ ~ ~ C R E D O ! ! !

~ Uma rainha muito amada por princesas e príncipes, a cantar desta maneira!!

~ Adélia, quando vais aprender a ser feliz com as coisas simples da vida?!

~ ~ ~ Que seja uma semana muito soalheira e aprazível. ~ ~ ~

~ ~ ~ ~ Abraço amigo. ~ ~ ~ ~

Rosa dos Ventos disse...

Vamos lá a levantar a cabeça e a animar!
O que está a dar é ser feliz contra tudo e contra todos! :)
Desculpa o ar brincalhão ...mas dizer o quê?! :(

Abraço

redonda disse...

Palavras tristes e fortes, adequadas à fotografia, mas quem escreve assim nunca poderia ser uma mulher nascida para viver morta.
um beijinho
Gàbi

Observador disse...

Incertezas, desânimos e tristezas ficam, a partir de hoje, sujeitas a uma taxa especial.

Beijinho, amiga.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Vamos lá a aproveitar o belo sol, Adélia e atirar toda essa angústia ao mar.
Beijinho e boa semana

lis disse...

Oi Adélia( descobri seu nome) rs
mas gosto de chamá-la de Flor.
_ e as flores murcham morrem e nascem outras no mesmo ramo.
Assim somos nós morremos e renascemos.
A vida é preciosa e há uma força maior que vem do Alto que nos consola e guia.
Te amamos e a queremos forte,beijos
e uma semana de paz.

poesia de vieira calado disse...

Que pessimismo, amiga!
Arrebite!

Beijinho para si!

Fê blue bird disse...

Amiga querida, queria tanto ser tábua de salvação para poder socorrer-te nestes momentos difíceis.
Mas a prendi com a vida que depende de nós, da nossa força e resistência essa salvação. Não podes desanimar, tens muita gente que te ama e que precisa de ti.
Tens que ser forte e eu sei que tu és forte embora penses o contrário.
Coragem e apoia-te no amor que tens à tua volta.

beijinho e abraço apertado

Janita disse...

Minha querida, Adélia.

Ao ler-te lembrei-me dos poemas angustiantes e angustiados de Florbela Espanca.

Todos temos os nossos momentos de tristeza e desânimo, mas há olhar em frente, amiga.

Não dizem que no fim de cada túnel aparece a luz?...E a seguir à tempestade vem a bonança?

Um beijinho grande! Boa semana.

São disse...

Fico triste com a tua tristeza, amiga!

Não podemos desistir, por muito que nos custe, Adelinha!

Abraço muito forte e cheio de amizade

Lídia Borges disse...


A morte que espere!

Costumo dizer que quando vier, quero que me encontre distraída a VIVER.

Um bom filme, um poema, um livro interessante, uma ida ao ginásio, uma caminhada, um bolo para o chá...

Um beijo